Notícias /
Terça, 27 de fevereiro de 2018, 18h07
| Tamanho do texto A- A+

NOVO FUNDO – Governo do Estado e empresários buscam solução para impasse

Assessoria de Imprensa

CDL Cuiabá

 

Lideranças empresariais de diversos segmentos do comércio de Mato Grosso voltaram a se reunir com o governo do Estado na tarde desta segunda-feira (26.02), para discutir a criação do “Fundo de equilíbrio fiscal”, que atingirá diretamente grande parte dos comerciantes do Estado, através de um aumento na carga tributária.

 

Essa foi a terceira reunião entre empresários e representantes do governo para discutir o assunto, sendo que as duas primeiras foram com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Carlos Avalone e com o secretário de Fazenda, Rogério Gallo, as quais aconteceram na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá). Já a terceira, foi realizada no Palácio Paiaguás.

A ideia dos encontros é tentar se buscar uma solução para o déficit orçamentário do Estado, já que os empresários não aceitam pagar o novo fundo. “São muitos impostos que acabam sobrando para os comerciantes pagarem e nós não aguentamos ter que pagar mais esse aumento de carga tributária, além disso, nós estamos em um processo de recuperação de uma crise financeira muito forte, então, qualquer aumento ou criação de imposto nesse momento pode ser muito prejudicial. O comércio não está preparado para isso”, declarou o vice-presidente administrativo da CDL Cuiabá, Célio Fernandes, que juntamente com o vice-presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), senhor Paulo Gasparoto, representou a instituição.

Fernandes ainda ressaltou  como positiva a disponibilidade do governador e secretários de Estado de sentarem com os segmentos para uma negociação e de ouvirem uma contraproposta da CDL Cuiabá em relação ao novo fundo. “Nós nos comprometemos em tentar achar uma outra solução juntamente com o governo do Estado  e é isso que estamos fazendo, tentando ajudar a criar uma outra forma de ampliar a arrecadação que não seja através de aumento do percentual dessa carga média, como tem sido proposto. Existem outros mecanismos. A construção de onde nós podemos ceder é feita segmento a segmento. Cada um sabendo exatamente onde está apertando seu calo. Nós entendemos que o governo tem uma necessidade forte de fazer recursos e manter o seu compromisso de pagar em dia suas despesas. E como os empresários que querem ver o Estado se desenvolver, há um entendimento comum de todos nesse sentido. Nós temos que juntar as forças para podermos sair desta crise mais fortalecidos”, disse.

Após sugestão do vice-presidente da FCDL, Paulo Gasparoto, a qual foi acatada por todos, é de que a partir de agora, os secretários sentarão com representantes de diversos segmentos separadamente para ouvir sugestões de arrecadação. As primeiras reuniões estão marcadas para acontecer na próxima quinta-feira (01.03), na secretaria de Fazenda.

PARCEIROS

CDL Cuiabá © 2016 - Todos os direitos reservados - (65) 3615-1500

Sistema CNDL